ARGAMASSAS: O QUE SÃO E PARA QUE SERVEM?


       As argamassas são materiais de construção que tem na sua constituição aglomerantes, agregados minerais e água. Quando recém misturadas, possuem boa plasticidade; enquanto que, quando endurecidas, possuem rigidez, resistência e aderência. 
Ex: cimento + areia + água; cal + areia + água; cimento + cal + areia + água
Aglomerantes são materiais que promovem a união dos grãos do material inerte (agregados). Funcionam como elementos ativos nas argamassas, sofrendo transformação química. Ex.: cimento (utilizado em argamassa de revestimento e assentamento), cal (utilizada em revestimento), e gesso (utilizado em revestimento, decoração e modelagem).
Agregados são materiais pétreos fragmentados que atuam nas argamassas e concretos como elemento inerte (que não sofre transformação química). Ex.: areia. O material inerte é incorporado para diminuir a contração e tornar o material mais econômico.
Conforme a necessidade, pode-se adicionar outros componentes para melhorar ou dar outra propriedade ao material. Um erro freqüente, contudo, é a superdosagem de aglomerantes
na argamassa, o que resulta em custos adicionais. Isso pode ser atribuído à pouca informação e prática tecnológica na orientação e formação de profissionais. A conseqüência disso é o uso incorreto do material, que por vezes apresenta características inadequadas para o fim ao qual se destina.
       Aditivos para argamassas:
·         Plastificantes - aumentam a resistência com menos água no preparo;
·         Fluidificantes - mesmo efeito do plastificante, porém mais efetivo;
·         Incorporadores de ar - incorporam bolhas de ar, aumentando a impermeabilidade;
·         Impermeablizantes - repelem a água;
·         Retardadores - retardam a pega;
·         Aceleradores - aceleram a pega.
 FUNÇÕES
Unir com solidez elementos de alvenaria e ajudar a resistir aos esforços laterais.
·         Distribuir com uniformidade as cargas que atuam na parede por toda a área resistente aos elementos de alvenaria.
·         Absorver as deformações que a alvenaria sofre naturalmente.
·         Selar as juntas contra a penetração de água da chuva.
·         Dar acabamento como reboco nos tetos, pisos, nos reparos de obras de concreto, etc.
Propriedades mecânicas
A argamassa resiste aos esforços horizontais que ocorrem em uma parede, como flexão e cisalhamento causado pelo vento, perpendiculares ou paralelos ao plano das paredes. Entretanto, não resiste muito bem à compressão, papel que cabe aos blocos de alvenaria.
Uma boa argamassa deve ter boa resistência mecânica, impermeabilidade, aderência, durabilidade e volume constante. Na escolha da argamassa, essas qualidades são valorizadas de acordo com as exigências da obra.
ARGAMASSAS DE ASSENTAMENTO E SUAS PROPRIEDADES
·        Trabalhabilidade: uma argamassa tem boa trabalhabilidade quando distribui-se com facilidade ao ser assentada, preenchendo todos os vazios. Não separa-se ao ser transportada, agarra a colher do pedreiro, não endurece quando toca blocos de sucção alta, e permanece plástica por um bom tempo.
·        Retentividade de água: está relacionada com a manutenção da consistência da argamassa. É a propriedade da argamassa de não perder a água que possui para o elemento onde foi assentada.
·         Aderência: não é uma característica própria da argamassa. Depende das condições da mesma, e da unidade da alvenaria. A aderência é um processo mecânico; a argamassa se ancora na alvenaria pela penetração nas suas reentrâncias.
·         Resistividade mecânica: o principal esforço que a argamassa de assentamento sofre é o de compressão. Também sofre flexão e cisalhamento por esforços laterais nas paredes, porém em menor quantidade.
 Em relação aos seus aglomerantes, as argamassas de assentamento podem ser:
·         Argamassa de cal: é uma mistura de areia e cal que preenche os vazios entre os blocos ou tijolos, cimentando-os . A cal pode ser de dois tipos: a cal virgem e a cal hidratada. A primeira,
·         para ser usada, deve passar por um processo de hidratação; enquanto que a segunda pode ser comprada pronta. A cal pode se apresentar em 3 estados para a mistura com o agregado na formação da argamassa: pasta, leite de cal ou pó. A cal dá à argamassa uma boa trabalhabilidade e capacidade de reter água, entretanto, quando está endurecida, apresenta baixa resistência.
·         Argamassa de cimento: as argamassas de cimento e areia são indicadas para suportar maiores cargas, pois possuem alta resistência. Argamassas ricas em cimento têm boa trabalhabilidade, porém são pouco econômicas. Para ter-se o máximo de qualidade deve-se observar os cuidados com a estocagem e o prazo de utilização.
·         Argamassa mista de cimento e cal: tem proporções adequadas de cada componente, cada qual contribuindo com suas características, formando uma mistura mais completa . A função da cal é plastificante, por sua capacidade de reter água e ter trabalhabilidade . A função do cimento é dar resistência e aumentar a velocidade de endurecimento. Esse tipo de argamassa se adapta e é indicada para vários usos em alvenaria (seja ela estrutural ou não).
·         Argamassa mista de cimento e saibro (muito utilizado em Santa Catarina): é uma argamassa de cimento em que o saibro atua como plastificante, aumentando o volume da mistura e melhorando sua trabalhabilidade. Não se sabe muito sobre o emprego do saibro nas argamassas, mas seu uso vem de uma tradição herdada dos antigos mestres de obra. Vale também por sua economia.
ARGAMASSA DE REVESTIMENTO
            Revestimento é o recobrimento de uma superfície lisa ou áspera com uma ou mais camadas superpostas de argamassa em espessura via de regra uniforme, apta a receber, sem danos, uma decoração final.
Aderência é a propriedade do revestimento de resistir a tensões normais ou tangenciais nas superfícies de interface com o substrato.
Nas edificações, uma das maiores razões de falha das argamassas de revestimento está relacionada com a perda ou falta de aderência ao substrato. Assim, a capacidade da argamassa de atingir uma completa, resistente e durável aderência com a base talvez seja a mais importante propriedade concernente ao comportamento de um revestimento.
Funções
            Ao longo do tempo, independente do tipo do material ou do uso à que se destina, deve-se exigir sempre as mesmas funções básicas dos revestimentos argamassados:
·         unir;
·         vedar;
·         regularizar;
·         proteger.
            As camadas de constituição dos revestimentos são denominadas de emboço e reboco, podendo-se, caso necessário, aplicar previamente um suporte de revestimento (tela metálica, por exemplo) ou uma camada de chapisco. A função unir é básica nas argamassas de assentamento, entretanto pode ser estendida às argamassas de revestimento quando utilizamos o chapisco, responsável pela boa união entre os substratos de concreto e as camadas posteriores do revestimento.

 
Usos
Funções
chapisco
unir camadas de revestimento ao substrato
emboço
vedar a alvenaria, regularizar a superfície, e proteger a base
reboco
vedar o emboço e dar um acabamento estético

Usos
            Entre outros usos importantes dos revestimentos argamassados, podemos citar:
·         estanqueidade à água;
·         conforto térmico;
·         isolamento acústico;
·         resistência ao fogo;
·         regularização da base;
·         aparência e decoração;
·         proteção da base.
            Os revestimentos externos servem principalmente para aumentar a durabilidade da obra, reduzir a penetração da água da chuva e em certos casos, melhorar a aparência das bases de alvenaria.
Propriedades
            Quando fresca
·         Adesão inicial: é a propriedade que a argamassa fresca de revestimento possui de permanecer adequadamente unida à base de aplicação, após o seu lançamento manual ou mecânico, auxiliada pela sua plasticidade - traduzida pela coesão entre as partículas sólidas - e dificultada pela influência da força da gravidade. Adesão inicial é uma das principais propriedades tecnológicas para a determinação de trabalhabilidade requerida às argamassas.
·         Consistência e plasticidade: são os principais fatores condicionantes da trabalhabilidade das argamassas, a qual pode garantir que o revestimento fique adequadamente aderido ao substrato e dar o acabamento superficial conforme prescrito, caso essa propriedade não seja muito alterada pelas características do substrato. A consistência e a plasticidade podem alterar-se completamente em função da relação água/aglomerante, da relação aglomerante/areia, e da natureza e qualidade do aglomerante. São vários os métodos empregados para a medida da consistência. Os métodos que impõem à argamassa uma deformação através de vibração ou choque medem ao mesmo tempo a consistência e a plasticidade.
·         Retenção de água de consistência: define-se retenção de água de uma argamassa como a propriedade que a mesma possui de reter mais ou menos água de amassamento ao entrar em contato com uma superfície de maior nível de absorção. Nas argamassas mistas de cimento e cal, os aglomerantes são os principais responsáveis pela capacidade de retenção de água. No entanto as partículas de agregado também são responsáveis por essa propriedade.
Quando endurecida
  • Resistência mecânica (capacidade de absorver deformações): É a propriedade das argamassas endurecidas de acompanhar a deformação gerada por esforços internos ou externos de diversas origens e de retornar à dimensão original quando cessam esse esforços sem se romperem, ou através do surgimento de fissuras microscópicas que não comprometam o desempenho do revestimento no que diz respeito à aderência, estanqueidade e durabilidade. A resistência mecânica é uma das principais propriedades responsáveis pelo êxito das argamassas nas diversas funções do revestimento, para tanto devem apresentar módulo de deformação compatível com cada função. As solicitações às quais encontram-se submetidas as argamassas de revestimento são:
  1. Movimentação volumétrica da base - a variação dimensional por umedecimento e secagem é a mais comum, que ocorre por ação dos agentes externos, como temperatura e umidade;
  2. Deformação da base - devido a deformação lenta do concreto da estrutura e recalques das funções;
  3. Movimentação do revestimento - ligadas às condições climáticas, as variações de temperatura provocam o fenômeno de dilatação e contração do revestimento;
  4. Retração do revestimento - tensões internas são provocadas pelo movimento de retração em conseqüência de uma diminuição de volume devido à perda de água para a base, por evaporação, e ainda devido às reações de hidratação do cimento. Quando as tensões internas atuantes no revestimento superam a sua resistência à tração, surge a fissura. A retração pode ocorrer após a secagem do revestimento, por variações no ambiente.




Reações:

3 comentários:

Deixe seu comentário e nos ajude a melhorar a qualidade de nossas postagens.