A Moda alternativa das tribos urbanas

Para algumas pessoas, quando falamos de moda, elas costumam associar rapidamente às marcas caras, grifes glamorosas, passarelas ou até mesmo alta-costura.

Na verdade, o conceito do que é moda permite uma gama extensa de significações dentro deste contexto.  Alguns atribuem até mesmo um significado pejorativo, algo como “se ta na moda é porque não é legal, todo mundo tem, etc”.

Hoje iremos falar sobre um ramo da moda que merece cada vez mais atenção. Seja pela autenticidade, seja pelo fato de ser uma moda que representa setores sociais e tribos urbanas: a moda alternativa.

A saber:
  • ·         Moda: estilo de se vestir
  • ·         Alternativo: opção ao comum, contrário ao convencional

Sendo assim, a moda alternativa é m estilo de se vestir que irá se diferenciar do senso comum. Algo mais pessoa, look adotado por comunidades, tribos, etc.

Moda hip-hop

Originário das periferias norte-americanas e bairros pobres de população na maior parte composta por negros e latinos, como o Bronx, o hip-hop é antes de tudo um movimento cultural. A moda e as roupas representam a cultura e o grupo social a qual os adeptos pertencem.

Calças e camisetas xxl (número bem maior), bonés, cabelos trancados ou Black Power, são algumas das características refletidas pelos looks dos adeptos do movimento.

Agasalhos e blusas de grifes como puma e Adidas, estão entre as marcas preferidas deste público, além de tênis Nike.

Moda headbanguer-metal

O estilo metal de se vestir é inconfundível. Surgido na década de 70 e tendo como referencia, bandas como Iron Maiden, Led Zeppelin e Black Sabbath, esta tribo é bem popular no meio do rock.

As mulheres ao compor os looks no estilo metal usam e abusam da sensualidade, com saias curtas, meia arrastão, cinta liga, corseletes, casacos com estampa animal print, e entre outros acessórios.

Já os homens, adotam cabelos longos, calças mais justas, cintos de tachinhas, lenços ou bandanas nos cabelos, coturnos, jeans surrados e roupa preta.

Moda street wear

Nos anos 90, ápice do movimento grunge, uma grife se destacava ao dizer em uma de suas campanhas publicitárias: FUCK THE FASHION. Era o slogan da marca Vision Street Wear, que tinha uma relação direta com os alternativos. Vestindo de bandas de rock, hardcore, metal, punk, até grupos de rap, a grife virou referência da moda alternativa.

Mas o que era o street wear? Nada mais do que a roupa confortável pra você ir trabalhar e quando voltasse andar de skate e a noite ir ao show da sua banda preferida. Era a moda real, que não se importava com o glamour fashion das passarelas e grifes caras.

Daí a identificação instantânea com skatistas, rappers, roqueiros, modernos e afins.

Há muitas tribos, grupos e subgrupos que embora se vistam de forma parecida, criam seu estilo próprio. Este é o grande legado, aliás, da moda alternativa. Como um lema punk, a roupa parece dizer ao mundo: seja você mesmo. 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e nos ajude a melhorar a qualidade de nossas postagens.