Análise literária: porque analisar um texto? Qual a importância e ler um clássico?

A carreira de crítico literário é uma das mais interessantes. Se aprofundar nas questões que permeiam uma narrativa, compreender as formas, estéticas e demais fatores que colaboram para a confecção de uma obra de arte, que é o objeto livro, requer muito estudo, discernimento e acima de tudo, paixão extrema pela leitura. Mas porque analisar um texto?
Neste artigo, fazemos algumas reflexões a respeito do tema.
Motivos para análise
Por que analisar? Por que ler um clássico? Tentaremos responder a tais perguntas sem a pretensão de esgotarmos o assunto. Entendermos por análise literária a decomposição de um texto literário em suas partes constituintes, essenciais. Fazer análise literária é fazer uma leitura profunda, é fugir à superficialidade.


Saindo da superfície

A leitura profunda deve extrapolar os limites da sala de aula e nos acompanhar por toda a vida. Por quê? Porque nos enriquece culturalmente; porque nos forma enquanto homens e cidadãos. Somente quando nos apoderamos da cultura acumulada em séculos de história humana é que exploramos nossa capacidade, é que nos concretizamos como seres humanos. E o meio mais fecundo e eficaz de se adquirir cultura é por meio de uma leitura aprofundada.

A importância de se adquirir cultura de qualidade na sociedade moderna


Devemos também levar em conta que a sociedade moderna tem em alta conta a cultura e sem ela é difícil ter acesso às posições vantajosas da sociedade. Se você que está lendo este artigo, por acaso busca carreiras que envolvam análises e questionamentos, como professores, por exemplo, tem a obrigação de saber ler em profundidade e de ter uma visão crítica do que é lido. Como podemos ensinar o que não sabemos?

Importância de ler os clássicos

Por que ler um clássico? Porque é o que há de melhor. Um clássico só se torna clássico por atingir nível estético ímpar e imortal. Isso em todos os ramos da cultura. Restringindo-nos à literatura, podemos citar alguns nomes como Homero, Virgílio, Dante, Camões, Goethe, Machado de Assis e tantos outros que não podemos enumerar.Esses autores são tão singulares, a obra que produziram é de tal grandeza que não é possível esgotá-la.

Exemplo de clássico: a carta roubada, de Edgard Alan Poe

Edgar Allan Poe (1809-1849) pertence ao seleto grupo de imortais da literatura. Ele foi o pioneiro das narrativas de suspense e as escreveu com tal maestria que é considerado um dos maiores autores de todos os tempos.As histórias que Poe escreveu são maravilhosas; o estilo é cativante e mantém o leitor preso do início ao fim. Dentre inúmeros contos que ele escreveu, “A carta roubada” é um conto engenhosamente escrito e fascinante.
Fica a dica para uma leitura mais aprofundada.  
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e nos ajude a melhorar a qualidade de nossas postagens.