Dicas literárias: Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago (Companhia das Letras, 2008.)

Vamos trazer neste espaço, uma série de artigos referentes à literatura. Estar ligado nas novidades tecnológicas é importante, conhecer tendências da moda também. E a saúde física, nem se fala.
No entanto, não devemos deixar de cuidar da saúde intelectual, e por isso, traremos grandes livros e escritores importantes como sugestão. Começaremos com Saramago!
“Ensaio sobre a cegueira”, livro do conceituado escritor José Saramago, falecido em 2010, um dos ícones da literatura moderna, revela e desnuda por completo o vazio do homem pós-moderno, onde coexistem os dois lados do ser humano, o “lado branco” e o “lado negro da força”.
Se você gostou desse artigo vai se interessar também por: A presença feminina na literatura.



Atacada por uma espécie de cegueira branca, termo provavelmente criado pelo próprio Saramago, a população de uma metrópole é arrebatada por tal peste. As pessoas detectadas pela peste epidêmica são enviadas a um local abandonado, uma espécie de hospital e manicômio desativado, cheio de caminhos tortuosos e labirintos, onde permanecem em quarentena, isolados da sociedade.

É nesse espaço que ocorreram fatos dignos de um inferno dantesco, onde mesmo na desgraça, o ser humano não deixa de subjugar e explorar o outro.
Na verdade, Saramago nos mostra metaforicamente, seja pelas atitudes expressas pelos personagens, seja pelos labirintos, pelo caos, pela imundície, que o ser humano se vê perdido em seus caminhos, completamente sem direção no caos oferecido pela modernidade.
No entanto, mostra também o outro lado. Mesmo em um ambiente sujo e cinzento, permeado das piores atrocidades que incessantemente pintam o cenário descrito por Saramago, encontra-se também o sentido de coletividade e ajuda mútua. Esse sentimento é liderado pela mulher do médico, (Saramago não da nome aos personagens, eles são identificados devido a suas profissões e classes sociais ), a única a enxergar no grupo. Ela desempenha o papel de “guia” aos demais cegos.
Saramago em seu livro levanta vários aspectos e questões, como por exemplo, a falta de rumos da sociedade e a necessidade de voltarmos para dentro de nós mesmos e refletirmos sobre esses rumos, algo que parece ser possível apenas se ficarmos cegos. O texto de Saramago dialoga com aspectos filosóficos como “o mito da caverna”, e literários como “o inferno de Dante”.
O aspecto da cegueira é também abordado em Sófocles. Enfim, notam-se várias correlações entre Saramago e outros clássicos literários, e o grande brilhantismo de sua obra é trazê-los à tona de maneira atual.
Um ensaio sobre a degradação humana, mas que não deixa de enxergar a esperança.

Nos cinemas

Uma obra de tão profunda extensão no âmbito filosófico e literário teve força suficiente para entrar nos cinemas, por meio do diretor brasileiro Fernando Meirelles.
A trama foi produzida em conjunto entre Brasil, Japão e Canadá, com filmagens ocorridas nestes lugares.
Uma das cenas mais marcantes foi filmada no centro velho da cidade de São Paulo, onde o cenário inconfundível do prédio onde funciona atualmente o Shopping Ligth, serve de pano de fundo.
No elenco de “Blindness” (título original em inglês para a versão cinematográfica), nomes como Julianne Moore, Gael García Bernal e Danny Glover, são os destaques. 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e nos ajude a melhorar a qualidade de nossas postagens.